Orça a Rádio Cidade

Play
Pause

12 de April de 2024

12 de April de 2024

Depois de agredir ex-mulher e filha de 4 anos, vendedor é preso ao retornar com arma de fogo

Compartilhe:

Porto Seguro; Dois crimes envolvendo homens contra ex-companheiras foram registrados na segunda-feira (28) em Porto Seguro. O primeiro caso aconteceu por volta das 13h00, no Parque Ecológico João Carlos III. Um homem de 26 anos foi preso acusado de violência doméstica e porte ilegal de arma de fogo.

Segundo a polícia, o vendedor Paulo Marques da Cruz foi até a casa da ex-mulher, de 29 anos, buscar a filha de ambos, de 4 anos de idade. Quando estava saindo com a menina, o ex-casal começou a discutir e, durante a briga, Paulo deu um soco e acabou acertando a criança.

Irritado, ele esmurrou por diversas vezes a cabeça da ex-companheira, que teve o olho esquerdo lesionado. Na sequência, o agressor mordeu o dedo indicador direito da vítima, a derrubou no chão e começou a chutá-la.

A mulher, que trabalha como merendeira, conseguiu escapar e correu para a rua. O ex-marido seguiu atrás dela com um pedaço de madeira na mão, mas foi contido pelas amigas da vítima. Paulo voltou para a casa de uma tia, pegou um revólver calibre 38 e, quando retornava para casa da ex-companheira, foi abordado pela polícia.

Preso em flagrante, ele foi levado para a 1ª Delegacia Territorial de Porto Seguro. De acordo com a polícia, o inquérito foi encaminhado para a Delegacia da Mulher (Deam).

DESCUMPRIMENTO DE MEDIDA PROTETIVA – Também na tarde de segunda-feira (28), um homem de 66 anos, que mora no estado de São Paulo, foi preso na orla Norte de Porto Seguro após descumprir medida protetiva contra a ex-mulher. A vítima, de 44 anos, mora em Minas Gerais e havia chegado a Porto Seguro no último sábado (26), para prestar um concurso público.

Apesar da medida protetiva, emitida pela Justiça de São Paulo, o comerciante José Carlos Ramos Ferreira foi até o hotel onde a ex-companheira estava hospedada, na Avenida Beira-Mar. A polícia foi acionada e ele acabou preso.

Na delegacia, o comerciante tentou fugir quando soube que ficaria detido. Conforme previsto na Lei Maria da Penha, a fiança só pode ser arbitrada pela Justiça, durante audiência de custódia.

Casos de violência contra mulheres podem ser denunciados pelo disque-100, além dos telefones 181 e 190. A vítima agredida pode também procurar qualquer delegacia.

Fonte: Radar64

Compartilhe:

Leia mais

Policia Civil
Arma apreendida
Passaros apreendidos
Ambulancias
UFSB
Acessibilidade Bombeiros
Dengue
Reuniao indígenas
Capacitacao ambiental
Foragido preso
Identidades aldeia de Prado
Reuniao liderancas indigenas capa

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023 ©. Todos os direitos reservados

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023
© Todos os direitos reservados